A partir dessa reflexão, qual é a espiritualidade do Tempo da Quaresma?

Ora, só podemos viver a espiritualidade quaresmal a partir do nosso encontro pessoal com Deus, por meio do diálogo cotidiano com a Palavra que a Igreja nos propõe para esse tempo; da intimidade alcançada na oração; e à luz da proposta que a Campanha da Fraternidade no traz a cada ano. Nesse caminho, não seguimos sozinhos, mas caminhamos com Jesus por um caminho desértico e desafiador, mas à sombra do Espírito Santo.

Esse caminhar evangélico, pois que traçado pelo Evangelho de Cristo, não deve ser um caminhar de dor e de pesar, mas um caminhar de aproximação do amor de Deus. Durante esse período, nos preparamos para a maior festa da nossa fé, a Festa da Páscoa, onde o amor de Deus se apresenta maior do que tudo. Esse é o amor que nos atrai e nos congrega num só coração. Dele nasce a fraternidade que nos faz irmãos, independente de raça, cor, gênero, ideais ou ideologias.

Durante quarenta dias, vamos passo a passo nos aproximando do cerne da nossa fé, a ressurreição de Jesus Cristo, a vitória do amor que transformou a morte em vida eterna. E tanto maior será a nossa alegria, quanto maior for a nossa conversão, quanto mais alcançarmos a comunhão do nosso espírito com o Espírito de Deus, quanto mais unirmos o nosso coração ao coração dos irmãos.

Por meio da Oração, da meditação da Palavra, podemos encontrar a luz que nos vai guiar sempre; por meio do jejum, não apenas de alimentos, mas principalmente de palavras, sentimentos e ações que não constroem, mas dividem e destroem, podemos descobrir o elo que nos une a Deus; por meio da caridade, expressa no gesto de partilha, de doação, de solidariedade, vamos revelar a liberdade que nos faz obedientes. Obedientes por amor!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *