Salesianos de Dom Bosco (SDB)

Por volta de 1918, os Salesianos, adquiriram uma chácara no Alto de Santana, bairro do Chora Menino, onde construíram, em primeiro lugar, um campo de futebol e um galpão para os alunos do Liceu Coração de Jesus passearem e brincarem, num ambiente de ar puro, pois muitos deles estavam convalescendo da Grande Gripe, que assolou o mundo depois da Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Durante a revolução de 1924, por causa da proximidade do Liceu com o então Palácio do Governo, Pe. Luiz Marsigaglia, diretor do Liceu, fez uma promessa a Santa Teresinha de construir na chácara uma igreja votiva em sua homenagem. Houve então um episódio em que tropas rebeldes do Exército e da Força Pública de São Paulo, sob o comando do General Isidoro Dias Lopes, tentaram sufocar a resistência do Palácio dos Campos Elíseos, onde tropas legalistas defendiam o Governador Carlos de Campos. Várias vezes, as bombas dos canhões caíram dentro do Liceu, não ferindo nenhum dos internos. Os meninos foram, então, levados para o prédio da imigração, no bairro do Brás, atravessando a pé as ruas da cidade, em formação e uniformizados com fardas caqui. Nesta ocasião, um novo e maior milagre ocorreu, pois confundidos como forças militares inimigas, por pouco não foram mortos.

Em 1933, o Padre Orlando Chaves teve a idéia de mudar o nome do bairro de Chora Menino para Santa Teresinha e encarregou várias senhoras de correrem abaixo-assinados entre o povo. Os padres Quintiliano e Bruno foram encarregados de conversar com os responsáveis pela garagem dos ônibus, e obtiveram autorização para colocar nos vidros dos ônibus pequenos cartazes, escritos à tinta, onde se lia: SANTA TERESINHA. Conseguida a autorização necessária junto à Estrada de Ferro e com grande festa, tendo banda de música, presença de autoridades políticas e do Padre Luiz Marsigaglia , a estação do Chora Menino passou a se chamar SANTA TERESINHA.

Em 1937, o provincial, Pe André Dell´Oca, fundou o Externato Santa Teresinha, escola paroquial para atender as crianças do bairro e dos bairros vizinhos, que acorriam em grande número, ao Oratório. Assim começava a funcionar o Colégio, no andar térreo do velho prédio, no qual, anteriormente, funcionava o Instituto Teológico Pio XI , primeiro Curso Superior Salesiano do gênero a ser implantado no Brasil, hoje funcionando no alto da Lapa. As instalações eram muito precárias, apesar de satisfazerem ao número de alunos e ao inspetor de ensino que, em 1944, elogiou o ensino do Colégio, deixando escrito que o mesmo era administrado com eficiência e dedicação.

Até esse dado momento, apesar de administrado pelos Salesianos de Dom Bosco que já residiam na “Casa Velha” da chácara, estes não tinham o direito à propriedade que usavam, já que esta pertencia ao Colégio Liceu Coração de Jesus. Em 1953, por meio de uma doação do Liceu, a antiga Chácara do Recreio e a Igreja Paroquial de Santa Teresinha tornaram-se propriedade da Sociedade de São Francisco de Sales, nome oficial da Congregação Salesiana.

Percebe-se neste pequeno trecho da história da Comunidade Salesiana em Santa Teresinha a importância da vinda dos Salesianos de Dom Bosco para o bairro que até hoje ainda tem no Colégio Salesiano Santa Teresinha uma referência educacional de qualidade e na Paróquia entregue pela Arquidiocese aos Salesianos, um excelente instrumento de evangelização.