300 anos de bênçãos

Graças a três pescadores que se recusaram a atender um paradigma, o de jogar fora coisas quebradas, é que nosso país tem uma padroeira do mais alto valor.

Isso é o que aconteceu em 12 de outubro de 1717, nas águas do rio Paraíba do Sul, quando os três pescadores, Domingos Garcia, Felipe Pedroso e João Alves, ao jogar as redes de pesca, trouxeram à tona um corpo de uma imagem de Nossa Senhora sem a cabeça, mas não a descartaram. Jogaram novamente a rede e o milagre aconteceu, Ao puxarem a rede, veio então a cabeça da imagem.

A quebra do paradigma foi lembrada por Dom Flávio Giovenale, bispo salesiano da diocese de Santarém e essa lembrança, por sua vez, foi lembrada por nosso pároco Pe. Camilo Porfiro da Silva, também salesiano, na sua homilia do dia 12 de outubro de 2017, quando a Igreja brasileira celebrou os 300 anos do encontro da imagem.

 

A missa das 18h00 foi a escolhida para ser iniciada por uma procissão com o andor da imagem de Nossa Senhroa Aparecida, acompanhada por centenas de fiéis que piedosamente participaram também da missa, demonstrando a grande devoção pela padroeira do Brasil.

Em oração, motivados por essa devoção e pela condição de Padroeira do Brasil, a comunidade paroquial pediu a intercessão dela pela nossa pátria.

Fonte: PASCOM Santa Teresinha

Deixe seu comentário

Este espaço destina-se a comentários sobre o texto acima.

Para obtenção de informações, clique aqui




*

(*)campos obrigatórios.